test_event_code: TEST62654
top of page
Buscar
  • Foto do escritorarvense

Qual a melhor forma de aprender idiomas estrangeiros na escola?




Existem diversas maneiras de trabalhar a aquisição de idiomas estrangeiros. Para ver como é verdade, basta lembrar que aulas de idiomas para adultos são diferentes das aulas para crianças. Além de levar em conta aspectos do desenvolvimento cognitivo, existem abordagens diferentes entre si.


Por exemplo, existem abordagens que focam no ensino a partir da gramática estrangeira, enquanto outras abordam a partir da cultura.


Neste artigo você vai entender como o Colégio Arvense promove o ensino de línguas estrangeiras e conhecer um pouco mais sobre as abordagens pedagógicas que baseiam este contexto.

Por que o Arvense não utiliza o método de gramática e tradução?

No Colégio Arvense, nos apoiamos em um ensino que promova a aquisição natural da língua-alvo. Ou seja, os professores utilizam o idioma estrangeiro como instrumento de aprendizagem para outros conteúdos, de forma que essa imersão na língua-alvo leve as crianças à competência comunicativa.


Este método está alinhado à previsão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que menciona que a aprendizagem dos idiomas estrangeiros deve acontecer como a língua materna. Ou seja, assim como as crianças não aprendem a língua portuguesa a partir da gramática, mas por meio do desenvolvimento da linguagem a partir de conteúdos, o aprendizado de um idioma estrangeiro deve se dar a partir de vivências no idioma.


É por isso que não trabalhamos com traduções ou métodos baseados em gramática. Assim, os alunos podem adquirir familiaridade com a língua estrangeira de modo natural. Na prática, este processo é organizado em 3 momentos:


1. Warm up ou aquecimento

2. Aula de exploração de vivências

3. Atividades de sistematização


Para entender mais sobre cada etapa, confira o vídeo com Denise Macedo, coordenadora de línguas estrangeiras do Arvense.

O que é o Princípio do ecletismo informado e a Abordagem CLIL?

O princípio do ecletismo informado sugere que não há uma única abordagem de ensino de língua estrangeira que seja a melhor para todos os estudantes ou situações de ensino. Em vez disso, os professores avaliam as necessidades, interesses e habilidades de seus alunos, bem como as características do contexto de ensino, escolhem e adaptam as abordagens e técnicas de ensino mais adequadas a cada situação específica.


Já a abordagem CLIL (Content and Language Integrated Learning, em português Aprendizagem Integrada de Conteúdo e Língua) é uma abordagem de ensino de língua estrangeira que enfatiza a integração do conteúdo acadêmico com a língua estrangeira.


Essa abordagem incentiva os alunos a usar a língua estrangeira para aprender outros assuntos, como ciências, matemática ou história, por exemplo. Isso pode ajudar os alunos a desenvolver habilidades linguísticas em contextos autênticos e relevantes, bem como a ampliar seu conhecimento em outras áreas acadêmicas.


A abordagem CLIL pode ser implementada de diferentes maneiras, dependendo das necessidades e objetivos de ensino específicos. No entanto, geralmente envolve a integração de atividades de linguagem em um currículo acadêmico específico e a criação de oportunidades para os alunos usarem a língua estrangeira para aprender e discutir tópicos relevantes.


Assista ao vídeo com Denise Macedo e a professora Malu falam pouco mais sobre o método CLIL.

<iframe src="https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2FColegioArvense%2Fvideos%2F733101000461613%2F&show_text=0&width=476" width="476" height="476" style="border:none;overflow:hidden" scrolling="no" frameborder="0" allowfullscreen="true" allow="autoplay; clipboard-write; encrypted-media; picture-in-picture; web-share" allowFullScreen="true"></iframe>

Por que a Abordagem CLIL é mais eficiente no processo de aquisição de línguas estrangeiras?

A Abordagem CLIL é considerada uma das abordagens mais eficientes no processo de aquisição de línguas estrangeiras. Isso porque ela combina a aprendizagem de conteúdo (conhecimentos em outras áreas, como história, geografia, ciências etc.) com a aprendizagem de uma língua estrangeira.


Dessa forma, o ensino de um idioma estrangeiro não é mais um fim em si mesmo, mas uma ferramenta para adquirir conhecimentos em outras áreas. Esse tipo de abordagem apresenta vários benefícios, tais como:


  1. Contexto Significativo: as informações são apresentadas em um contexto real e relevante para a criança. Isso torna o processo de aprendizagem mais natural e menos mecânico.


  1. Motivação: a língua é aprendida enquanto se adquire conhecimentos em outras áreas, o que torna o processo mais interessante e atraente.


  1. Desenvolvimento de Habilidades: a abordagem CLIL pode ajudar a desenvolver outras habilidades além da linguagem, como habilidades sociais, cognitivas e emocionais, já que a criança está aprendendo conteúdo em outras áreas e se comunicando em outro idioma.


  1. Aquisição Natural: a criança aprende a língua enquanto está imersa em um contexto real e autêntico, sem a necessidade de memorização mecânica.


  1. Resultados Duradouros: a criança aprende a língua enquanto adquire conhecimentos em outras áreas, o que torna o processo mais relevante e útil para a vida da criança.


5 fases da aprendizagem na infância

A aprendizagem na infância é uma das fases mais importantes do desenvolvimento humano. Quando se trata de aprender um idioma estrangeiro, a abordagem CLIL (Content and Language Integrated Learning) pode ser muito útil, pois integra a aprendizagem da língua com o aprendizado de outros assuntos, o que pode tornar o processo de aprendizagem mais natural e atraente para as crianças.


Entenda como as cinco fases da aprendizagem na infância se relacionam com a aprendizagem de um idioma estrangeiro de acordo com a abordagem CLIL.


  1. Fase de exposição: É a fase em que o aluno é exposto à língua estrangeira e começa a reconhecer sons, palavras e frases simples. Na abordagem CLIL, essa fase pode ocorrer ao utilizar a língua estrangeira para ensinar conteúdo em outras áreas do conhecimento.


  1. Fase de compreensão: O aluno começa a compreender palavras e frases simples em contextos específicos. Na abordagem CLIL, essa fase pode ocorrer quando o aluno compreende o conteúdo que está sendo ensinado em língua estrangeira.


  1. Fase de produção: O aluno começa a produzir palavras e frases simples em língua estrangeira. Na abordagem CLIL, essa fase pode ocorrer quando o aluno participa de atividades que exigem a produção de frases simples em língua estrangeira para descrever ou explicar um conceito.


  1. Fase de consolidação: O aluno começa a consolidar o conhecimento em língua estrangeira, adquirindo vocabulário e compreensão de estruturas gramaticais mais complexas. Na abordagem CLIL, essa fase pode ocorrer quando o aluno utiliza a língua estrangeira para se envolver em atividades e discussões mais complexas sobre o conteúdo.


  1. Fase de fluência: O aluno é capaz de se comunicar em língua estrangeira de forma efetiva em uma variedade de situações. Na abordagem CLIL, essa fase pode ocorrer quando o aluno é capaz de se comunicar em língua estrangeira ao mesmo tempo em que aprende e discute conteúdo em outras áreas do conhecimento.



Saiba mais sobre o ensino de idiomas estrangeiros aqui no Colégio Arvense. Você também pode agendar uma conversa com nossa equipe pedagógica para compreender mais nossas práticas de aquisição de línguas estrangeiras: envie-nos uma mensagem!

21 visualizações
bottom of page